Sintomas de Autismo em Crianças



Saiba aqui quais são os principais sintomas das crianças com autismo.

O autismo é uma síndrome que se manifesta com a capacidade reduzida de comunicação e interação social, além de comportamentos incomuns de um indivíduo, como agitação e repetição de movimentos. Geralmente, ela é identificada a partir das dificuldades de fala e expressão das pessoas, além de apresentarem comportamento excluso.

Na maioria dos casos, os primeiros sinais de autismo surgem durante a infância, por volta dos 3 anos de idade. Apesar de que alguns sintomas já poderem ser notados em bebês, como por exemplo, a falta de reação aos sons ou poucas expressões faciais.



Já em adolescentes e adultos, os sinais são menos sutis, como o isolamento, a dificuldade em olhar diretamente nos olhos, a falta de adaptação a mudanças e, em alguns casos, pode haver agressividade.

Para saber se o seu filho possui autismo, apenas a observação dos sinais que a criança pode apresentar não é suficiente. Na verdade, é necessária a avaliação clínica, seguida de um laudo médico realizado por profissionais como psiquiatra ou pediatra.

Leia este post para saber mais sobre como o autismo se manifesta em crianças.



Sintomas do Autismo

Os sintomas em uma criança podem variar segundo o nível de seu autismo. Alguns dos sinais mais comuns que as crianças autistas podem apresentar são:

  • Dificuldade na fala ou comunicação monótona;

  • Desgosto de relações de afetos;

  • Preferência pelo isolamento e dificuldade em se relacionar com pessoas da mesma faixa etária;

  • Dificuldade em olhar nos olhos de uma pessoa, mesmo estando perto;

  • Poucas ou nulas expressões faciais e dificuldade em compreender expressões alheias;

  • Não atender pelo próprio nome, apesar de não ter déficit auditivo;

  • Comportamentos inadequados e fora de hora, como gargalhadas em momentos sérios;

  • Balançar-se repetidamente para frente e para trás;

  • Ter ações repetidas;

  • Preferência por se manter calado(a);

  • Repetir perguntas incessantemente;

  • Não ter medo de situações que podem colocá-lo(a) em perigo;

  • Gostar de se machucar e não demonstrar sentimento de dor;

  • Divertir-se com a dor alheia;

  • Olhar fixado em uma só direção;

  • Agitação extrema em ambientes barulhentos.

Tratamento do Autismo

O tratamento de uma criança autista deve ser aplicado por toda a vida do indivíduo e pode variar por pessoa, por isso, é de extrema necessidade o diagnóstico e acompanhamento de diversos profissionais da área da saúde, além do apoio dos pais.

Algumas das formas usadas para tratar o autismo são:

  • Alimentação: existem alguns alimentos que podem colaborar para o agravamento dos sintomas de uma criança autista, dentre eles estão os alimentos com base em leite e alguns alimentos industrializados e que fazem uso de corantes;

  • Remédios: não existe nenhum medicamento que trate ou cure diretamente o autismo, mas alguns podem amenizar os sintomas;

  • Acompanhamento fonoaudiólogo: por apresentarem dificuldades na fala, é ideal que crianças que possuem autismo realizem tratamento fonoaudiólogo para que seja trabalhada a comunicação;

  • Terapia: existem vários tratamentos terapêuticos que auxiliam as crianças a lidar melhor com os ambientes externos e relações interpessoais, dentre eles estão a musicoterapia (a música é de grande ajuda para que o paciente compreenda as emoções), a equoterapia (a relação entre crianças e cavalos, por incrível que pareça, auxilia na interação social e na coordenação motora), a psicomotricidade (o fisioterapeuta orienta e ensina, a partir de jogos, a criança a realizar atividades cotidianas) e a psicoterapia (o psicólogo guia e orienta a criança a realizar sozinha pequenas atividades do cotidiano).

Como lidar com crianças autistas

É preciso paciência para lidar com uma criança autista. Mas, acima de tudo, é necessário entender que ela é uma criança normal e saudável, apesar de não conseguir se expressar e comunicar bem.

Alguns cuidados que podem ser tomados, a fim de facilitar a relação com a criança e colaborar com o seu desenvolvimento, são:

  • Evitar ambientes e situações que a deixem agitada;

  • Criar uma rotina e segui-la aplicadamente, pois autistas não lidam bem com mudanças;

  • Observar se a criança possui um talento especial para alguma área artística ou intelectual e incentivá-la;

  • Estar sempre presente e transmitir confiança à criança.

Aurenivia Alves Pereira




Deixe uma resposta